terça-feira, 6 de julho de 2010


Nos momentos em que apenas conversava comigo mesma, e ouvia apenas a minha própria voz:: A voz do meu pensamento... e nessas vozes eu ouvi esta história:

"Criei um mundo que era só meu, com muros e grades, mas sempre quis que lá houvesse uma ponte! Sempre... só que bem no fundo, mesmo no fundo....
A ponte poderia trazer alguém do mundo exterior ao que tinha construido... e isso implicava grande força de mim!
Implicava:
Aprender amar a vida!!!
E fui aprendendo, bem ou mal, não sei.... se aprendi? Sim, aprendi!... Tudo? Não! isso não!
Ainda tenho um caminho a percorrer... e nesse caminho sei algumas das coisas que tenho de emendar... Tantas!

E na ponte que construi, foi chegando gente, umas passaram, outras ficaram... mas todas deixaram marcas! e com elas... aprendo a viver!

E nessa ponte ... continua a chegar gente, pessoas que entram directamente ao coração sem pedir licença... e depois...

depois torno-me uma criança ...(que as vezes tem as suas birras)
ahhh ainda tenho tanto que aprender.... "


--------------------------------------------------------------------------------------------

Moça do sorriso

A moça do sorriso vivia escondida na parte escura da casa. Lá, dez palmos abaixo da terra, no porão da antiga residência, muitos a julgavam morta. Virou moça. Secou o sorriso.
Por vezes ouviam lamentos, noutras viam sombras. Mas rapidamente os fatos caiam no esquecimento. Esqueciam os que a viam, esquecia ela da coragem necessária para se mostrar.
Poucos conheciam os reais motivos daquela decisão.
Ela havia cansado de ver seu sorriso interpretado como fraqueza. Havia cansado de ser tomada como boba, ingênua. Apenas queria ser feliz.
Um dia, determinada como sempre fora, com a mesma determinação com a qual se trancafiou no porão, a moça do sorriso decidiu sair. Subiu os dez palmos e chegou a superfície. Gostou do que viu. E decidiu que, por mais que a claridade fizesse com que todos vissem suas fragilidades, ficaria por lá. Tudo bem, pensara. A mesma claridade que a expunha era o que coloria o mundo.
E assim, optou pelo colorido das coisas e voltou a ser moça do sorriso.

Um comentário:

  1. Parabéns pelos textos!!!!
    esse seu blog vicia!
    abraços

    ResponderExcluir